Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Depois de um dia mau pode haver um céu estrelado. O meu reino.


22
Mar16

A minha meia maratona

por Princesa das estrelas

Ainda estou a tentar digerir o facto de ter chegado ao fim da minha primeira meia maratona um mês antes do previsto. No ano passado, quando a Ana e a Sónia fizeram a sua primeira maratona, prometi-lhes que iria tentar fazer uma meia e inscrevi-me logo na de Madrid. No domingo quando comecei a correr não imaginava que pudesse acabar. Estava muito contente de ali estar. Primeiro no comboio com a Lina, minha amiga há mais de 20 anos e minha companheira em algumas corridas (se bem que ela é muito mais rápida do que eu). Depois, logo ali na partida com a Ana. Já tínhamos falado em fazer esta prova juntas. Na altura ela ainda não tinha a certeza se faria a maratona de Barcelona. Mas, depois de a ter conseguido terminar e de eu não ter conseguido o dorsal, achei que já não correríamos. Só que a vida é mesmo assim, está sempre a surpreender-nos e a Ana conseguiu o tão desejado dorsal e lá estava à minha espera, encostadinha do lado direito, como prometido, para corrermos lado a lado. Pensei que faríamos juntas a ponte e depois cada uma iria à sua vida. Estava enganada. Ela estava completamente artilhada para me acompanhar. Era o gel de frutos vermelhos, o de morango, a goma, mais a água e a bebida isotónica... "bebe isto, eu abro o gel. Agora a água". Nem queria acreditar.

Quando dei por mim já tínhamos passado o km 10 e eu continuava fresca que nem uma alface, feliz por estar ali. Foi a primeira vez que me senti tão acompanhada numa corrida e sei agora o que isso significa. Alguém que não arreda pé, que está ali para ser o nosso balão de oxigénio. Por sorte não me falharam as pernas (tive sempre medo que a ciática me traísse). E lá fomos, as duas, sempre lado a lado, a desfrutar o momento.

A minha intenção era chegar aos 15, 16 km no máximo. Fazer o meu treino longo mas com um ambiente de corrida oficial para me dar mais ânimo. Quando vi a placa dos 15 comecei a achar que era possível. Aos 17 tive a certeza que não ia querer desistir mas, mesmo assim, fui sempre muito prudente, com medo que me desse a travadinha e tivesse de parar. Enquanto corria cruzei-me com uma pessoa que, uma semana antes, tinha visto na corrida da APAV e não conseguia parar de pensar como a cabeça é uma coisa tramada. Durante essa corrida estive sempre a pensar em desistir e cheguei ao fim com a certeza de que a meia não era para mim. E, naquele momento, apenas uma semana depois e já com 12 ou 13 km nas pernas, eu estava fresquíssima e ultrapassei a Isabel da PJ (era este o nome na T-Shirt) com uma perna às costas.

À medida que os km passavam eu ia ganhando confiança e achando que talvez fosse mesmo possível eu chegar ao fim. Aos 20km deu-me a maluca e acelerei um bocadinho, mas sempre a medo, não fosse torcer um pé e esbardalhar-me no meio do chão. A magia aconteceu quando vi a meta. Aí não restaram dúvidas e larguei a chorar. Pensei na minha Sónia e em como gostaria que ela também ali estivesse. Estava mesmo muito emocionada pelo que tinha acabado de conseguir, mas mais ainda por não o ter feito sozinha. Foi a primeira vez que cruzei a meta ao lado de alguém que me é querido. E foi maravilhoso. Nunca terei palavras para agradecer à minha Pipoca nem o texto

que ela escreveu. Ainda em cima da meta, e numa zona proibida, estava a Lina, aka a Lebre, à nossa espera de braços abertos. Grandes mariquinhas que nós fomos!

Eu sei que foi apenas uma corrida. Nenhuma de nós inventou a roda ou descobriu a cura para uma doença incurável. Há, todos os dias, pessoas a fazer coisas muito mais importantes para os destinos da humanidade. Mas este foi o meu momento. Foi uma vitória, uma conquista assente numa coisa boa. E isso vale muito.

Agora é continuar, não desistir e chegar em forma à meia de Madrid a tentar acompanhar e minha lebre, Lina, com a bandeira do glorioso.

E sim, eu sinto-me a MAIOR!!!

ana e inês.jpg

IMG_5758.JPG

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Calendário

Março 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D