Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Depois de um dia mau pode haver um céu estrelado. O meu reino.


04
Mai15

À minha mãe

por Princesa das estrelas

Hoje acordei com os teus passos escada acima. Eram mais ou menos sete horas da manhã e tu já eras mãe, nesse teu jeito de ser; a fazer, a tomar conta. Já tinhas ido à horta matar um frango para eu trazer para Lisboa. Também já tinhas separado as alfaces (as primeiras do ano), dois frascos de doce de tomate e uma dúzia de ovos. Para quem não te conhece, esta és tua a ser o melhor que és: Mãe. Eu estava no quentinho da cama com um dos meus filhos comigo e o outro numa caminha aos pés da minha.Todos no mesmo quarto, todos quentinhos enquanto tu andavas lá fora, no frio e na chuva, a ser mãe. Ainda tentaste tirá-los do quarto a tempo de eu voltar a dormir. "Descansa mais um bocadinho filha, andas tão cansada." Mas eu, que sou filha mas que também já sou mãe, não consegui dormir mais, entre o querer estar contigo aquelas horas da manhã e o dar atenção aos meus filhos. Foste tu quem fez o pequeno almoço e não eu. Mais uma vez tu a cuidares de mim. E fizeste-me desistir da ideia de irmos a Amarante tomar o pequeno almoço. Eu sei que não o fizeste por mal nem sequer porque não quisesses o passeio ou não o valorizasses. Simplesmente achaste que eu estava cansada o suficiente e que ainda tinha uma viagem grande pela frente. Eu entendo-te mãe, nesse teu jeito de ser. Às vezes enerva-me que pareça que não desfrutas das coisas boas da vida, dos mimos que te damos. Mas eu entendo. Tu não sabes ser de outra forma. Gostas e lembras-te, ficas na cama a dar voltas e a pensar nessas coisas boas. Mas o teu verbo é o cuidar. E é assim que sabes ser. Hoje estou cansada, a viagem foi grande e sempre acompanhada de chuva. Olhei para o teu frango e para as tuas alfaces e meti-os no frigorífico. "Amanhã também é dia", pensei. Mas lembrei-me de ti. Do teu cuidar. E fiz como tu. Peguei no bicho, cortei-o ao meio, temperei-o (metade para assar, metade para canja), arrumei as alfaces como deve de ser e agora sim, que já fiz como tu, agora posso ir deitar-me porque já cuidei dos meus. Agora já sou um bocadinho mais como tu. Adoro-te mãe.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Calendário

Maio 2015

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D