Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Depois de um dia mau pode haver um céu estrelado. O meu reino.


31
Jan10

...

por Inês P Queiroz
A ti nada pode acontecer. Vai tudo correr bem, tenho a certeza. Só pode ser assim, certo? Amanha, quando te for ver ao hospital, não vou ter lágrimas para chorar. vou gastá-las esta noite, na minha almofada. Amanhã tudo me parecerá melhor. Tu estarás melhor. Porque tu és a minha outra metade feminina. És o meu porto de abrigo. E não me podes faltar.
Até amanhã, amiga.

Autoria e outros dados (tags, etc)

29
Jan10

Avanços e recuos

por Inês P Queiroz
Passaram-lhe as grandes birras. Não grita por tudo e por nada, está a gostar de estar na sala dos crescidos na escola de música, interessa-se por experiências científicas na escola e não pára de falar da Idade do Gelo 3. Ontem, quinta-feira, dia mãe/filho, lá fomos jantar ao Buenos Aires (que, ou muito me engano ou vai passar a ser a nossa cantina das quintas-feiras). À chegada, pouco depois das sete da tarde, teve direito a recepção calorosa por parte das empregadas (e ele adora a atenção que lhe dão), lá veio a sua sopinha, o pão com manteiga e o bife argentino carregado de batatas fritas e salada. Estava tudo quase perfeito. Até que apareceu o pai. Juntou-se a nós para jantar. Nesse momento deixou de ser a nossa refeição a dois para ser uma coisa de família. E foi muito bom. Ele adorou dividir o seu gelado de doce de leite com o pai, e gostou ainda mais de lhe roubar batatas fritas. Janta terminada fomos cada um para seu lado, o pai para o trabalho e nós para o quentinho da cama grande. A grande conquista da noite deu-se quando ele se virou para mim, já sentado em cima da nossa cama e me disse: "mãe podemos fazer aquela coisa das etapas para eu ir ao meu quarto buscar a almofada?" E eu senti-me feliz. Na semana anterior quando o forcei a ir sozinho ao quarto buscar a almofada para vencer o medo senti-me horrível. Apesar de lhe ter explicado que o truque era fazer a coisa por etapas, ir acendendo todas as luzes da casa até chegar ao quarto, ele ficou furioso comigo. Mas ontem foi um regalo vê-lo a ir sozinho, a correr e a acender todas as luzes.
Com tantos avanços há, no entanto, um recuo que me preocupa: o chichi. O Henrique nasceu com hipospádias, uma malformação da pilinha que já o obrigou a 3 cirurgias. Mesmo assim terá de se submeter a uma última porque, neste momento, tem dois jactos de chichi e quando acaba de o fazer forma-se sempre uma bolsinha com chichi que faz com que pingue as cuecas, por mais cuidado que tenha. Apesar destas condicionantes, o Henrique, há cerca de seis meses, deixou de fazer chichi na cama. Para isso bastava que um dos pais o levasse à casa de banho por volta da meia-noite. Depois, no fim de Novembro, deixou de ser necessário levá-lo, e ficámos muito felizes. Ele começou a chamar-nos de cada vez que queria fazer chichi. Em Dezembro fez duas infecções urinárias e não sei se foi por isso, nas duas últimas semanas voltámos ao chichi na cama. O fim-de-semana passado chegou a fazer, na mesma noite, chichi na cama por duas vezes.
Não sei se deva estar muito preocupada. Tudo o que leio na net me fala dos problemas da enurese nocturna, e isto e aquilo. Não sei se deva ficar muito preocupada ou se deva aguardar e achar que, no meio de tantos avanços, os recuos são mesmo normais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

28
Jan10

Foi há 25 anos

por Inês P Queiroz

mas para mim é como se tivesse sido ontem. Não me canso desta canção e muito menos do que ela representa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

17
Jan10
Pois sim, e não é que o senhor Presidente da Câmara de Lisboa me voltou a decepcionar? Primeiro o estado vergonhoso em que deixou ficar os jardins da cidade, depois a operação de cosmética de os fechar a todos mesmo em cima das eleições (é só dar uma volta pela cidade para ver como está o jardim Constantino, ou o jardim do Príncipe Real, ou o da Praça José Fontana). E agora, depois de uma suposta tomada de decisão em relação aos casamentos de Santo An´tónio poderem receber casais homossexuais, eis que, em nome da tradição e mais não sei quantas pressões, fica o dito por não dito e volta tudo ao mesmo.
É triste, mas conheço muita gente de direita mais de fiar do que este senhor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

14
Jan10

fim de dia perfeito

por Inês P Queiroz
sim, este blogue não pode ser só para carpir e para rezar na pele do pequeno. Hoje foi um dia em cheio.
De manhã, após rápida conversa com a educadora fiquei a saber que ele está mais calmo e que está com imensa vontade de trabalhar nas áreas e de aprender.
A meio da tarde recebi um telefonema da escola de música. Este ano o Henrique tem andado muito diferente na escolinha; não está interessado, não quer ir e, pior de tudo, tem-se portado mal. Depois de muito pensar decidi falar com a professora. Parecia-me que o miúdo tinha falta de estímulo e a culpa, neste caso, só neste caso, não era dele. Mas sim do novo sistema educativo lá da escola que decidiu juntar todas as crianças da pré iniciação musical. Resultado: o Henrique, que já anda na escolinha há três anos, começou a ter aulas com meninos sem o mínimo de formação musical e mais novos, com 3 e 4 anos. Bem, isto para dizer que fiquei muito satisfeita com o telefonema da professora. "Sabe, fiquei a pensar no que me disse e acho que tem razão", disse-me ela. Como alternativa sugeriu-me integrar o Henrique nas aulas de iniciação musical, já com meninos de 6 anos, já sentadinho à mesa. Gostei e ele, então, adorou a novidade. E com a vantagem de, como as aulas são mais tarde, posso ser eu a ir buscá-lo à escola e não a empregada.
Depois de chegar a casa e de saber que se tinha portado bem decidi premiá-lo comuma ida ao seu restaurante favorito: só nós dois, porque esta semana voltámos à nossa rotina das quintas-feiras juntos, após uma baixa de dois meses e meio do pai. Ele vibrou. Fomos e viemos de metro (que o pai levou a cadeirinha dele no carro), muito beijos, abraços e jogos de sombras (levou uma lanterna que eu apontava para a parede da carruagem enquanto ele dizia todas as falas da idade do gelo 3 acompanhadas de jogos de mímica). Chegámos a casa, lavar dentes, chichi e cama. Esta aqui onde me encontro, grande. Eu ao computador e ele a ilustrar uma nova história. "Orelhas de Borboleta". Não sei onde foi desencantar o nome, mas achei delicioso. E não é que ele sabe mesmo desenhar borboletas? E deu-lhes nomes e tudo. E até escreveu sozinho alguns desses nomes... estou babada, não estou? É verdade. Hoje amo-o ainda mais e só me apetece apertá-lo e beijá-lo enquanto dorme aqui ao lado

Autoria e outros dados (tags, etc)

14
Jan10

Boas intenções

por Inês P Queiroz
Hoje é o nosso dia. E as minhas boas intenções passam por não me zangar com ele. Vou levá-lo à pizaria favorita, vai-se empanturrar das suas massinhas com fiambre e depois vamos para casa, para o quentinho da cama grande. Até o pai chegar. São estas as minhas intenções para esta noite. No big plans. Só amor e carinho

Autoria e outros dados (tags, etc)

14
Jan10

frase do dia

por Inês P Queiroz
"Nós, as pessoas sem ódios, temos memória curta."
Foi uma frase que ouvi esta semana da boca de uma grande mulher.
Quero tê-la bem presente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Jan10

triste

por Inês P Queiroz
por não ter conseguido gerir mais uma daquelas birras e lhe ter dado um berro que o fez tremer. Não que ele não o estivesse a merecer. Mas não resolvi nada. A única coisa que ganhei foi um aperto no coração.
F*

Autoria e outros dados (tags, etc)

12
Jan10

Varada..

por Inês P Queiroz
foi assim que o meu filho me deixou hoje, varada, cega de raiva. Tive tanta vontade de lhe encher o rabo de palmadas... e depois fico tão triste por ter estas ganas de lhe bater. Caramba, isto é mesmo difícil. Sinto-me emocionalmente atropelada por um camião.

Autoria e outros dados (tags, etc)

11
Jan10

Lhasa De Sela - Mi Vanidad

por Inês P Queiroz

Esta música é simplesmente fabulosa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Como é possível que quase a entrar nos 34 (sim, parece mentira, eu sei, mas estou à beirinha deles) ainda me consiga surpreender com a estupidez? Ou será com a futilidade? Ou será com a burrice? Estou com dificuldade em encontrar a palavra certa.
Eu sou uma defensora de todas as liberdades e cada um faz o que quer das redes sociais, mas no momento em que o país atravessa uma crise dos diabos, em que temos mais e mais desempregados a cada dia que passa, em que se discute o casamento gay e os direitos de adopção destes casais, ainda há pessoas que têm a lata de criar um grupo no facebook contra uma pessoa que se candidata a um concurso para ganhar sapatos? E nem é esta a parte que me deixa surpreendida, porque a moçoila que criou o grupo, a julgar pela sua foto, tem todo o ar de quem deseja tanto os 250 euros em sapatos do prémio que écapaz de furar olhos com garfos para o conseguir. O que me deixa de queixos no chão é a expressão que ela usa para fundar o grupo. Ela acha que se impedir a outra miúda (que por acaso é muito mais gira e estilosa) de ganhar os sapatos está a contribuir para que se acabem com as injustiças sociais. Injustiças sociais??? Deus, é nestas alturas que me sinto velha e sem paciência, quando vejo que se confude a socialite com coisas verdadeiramente importantes...

Autoria e outros dados (tags, etc)

07
Jan10

Pecado

por Inês P Queiroz

Aqui estão eles, o meu pecado de fim de ano. Bem posso vir com a desculpa de que já estavam em saldos, mas a verdade é que são um pecado, e dos caros, mas não lhes resisti. Entraram comigo em 2010. E foi bom

Autoria e outros dados (tags, etc)

05
Jan10

Balanço

por Inês P Queiroz
Um vestido roxo (obrigada mãe, és a maior), duas t-shirts da Purificacion Garcia, uma bolsa para levar jóias em viagens, um perfume (rose the one by D&G), uma mala Purificacion Garcia, dois ganchos, uma caneca para o chá, mais uma caneca para o chá (sim, eu bebo muito chá), uma embalagem de chá (do próprio), 4 belos albuns cheios de fotografias devidamente organizadas que resumem os últimos três anos da minha vida (é o que dá ter um homem em casa durante dois meses), um pó da Estée Lauder (de moi para moi) e duas bolsas super mariquinhas para os meus dois telemóveis,foram estas, assim de repente, as minhas prendas deste Natal. Amei todas, sem excepção. Ainda me perdi e comprei uns sapatos, mas foi no dia 30, já não os posso considerar de Natal, pois não?

Autoria e outros dados (tags, etc)

04
Jan10

o céu tem mais uma estrela

por Inês P Queiroz

Recordá-la-ei não pela doença que a levou, mas pela profundidade e sensualidade da sua magnífica voz.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Calendário

Janeiro 2010

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2005
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D