Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Depois de um dia mau pode haver um céu estrelado. O meu reino.


24
Mar06
Ele há coisas....que só escritas, porque contadas ninguém acredita.
Sabem quanto pode custar uma fotocópia? Pois eu digo: 15 euros!
Parece mentira mas não é.
Ontem fui numa das minhas sagas pela Administração Pública lusa. O que pretendia eu? Dar início ao meu processo de casamento. Processo esse que tinha sido aberto há um ano mas que, como todos sabem, não se concretizou. Lá fui, numa manhã cinzenta ao encontro da burocracia. Informaram-me que tinha de voltar a pedir toda a documentaçã que tinha pedido há um ano atrás. Essencialmente precisava de uma certidão de nascimento. E aqui começa o processo algo neurótico. Apesar de ter à sua frente uma cópia da dita certidão, a funcionária informou-me simpaticamente que tinha de me deslocar ao andar de baixo para pedir ma nova certidão. "Mas porquê, se ela está à sua frente?" perguntei. "Porque esta pertence a um processo que está arquivado" respndeu-me simpaticamente a senhora "Mas arquivado porquê se eu não casei?" contestei. "Isso diz a senhora, mas eu não tenho como provar que não casou em Odemira no ano passado" retorquiu com um sorriso malandro. "Mas se estou aqui novamente como é que casei?".
Fiquei baralhada, é verdade, mas lá fui ao andar de baixo pedir uma fotocópia da fotocópia. e quanto custou? É verdade, 15 euros! Eu paguei a uma entidade estatal 15 euros por uma fotocópia que voltei a entregar à mesma entidade estatal. Bonito não acham?

Autoria e outros dados (tags, etc)

24
Mar06
Ele há coisas....que só escritas, porque contadas ninguém acredita.
Sabem quanto pode custar uma fotocópia? Pois eu digo: 15 euros!
Parece mentira mas não é.
Ontem fui numa das minhas sagas pela Administração Pública lusa. O que pretendia eu? Dar início ao meu processo de casamento. Processo esse que tinha sido aberto há um ano mas que, como todos sabem, não se concretizou. Lá fui, numa manhã cinzenta ao encontro da burocracia. Informaram-me que tinha de voltar a pedir toda a documentaçã que tinha pedido há um ano atrás. Essencialmente precisava de uma certidão de nascimento. E aqui começa o processo algo neurótico. Apesar de ter à sua frente uma cópia da dita certidão, a funcionária informou-me simpaticamente que tinha de me deslocar ao andar de baixo para pedir ma nova certidão. "Mas porquê, se ela está à sua frente?" perguntei. "Porque esta pertence a um processo que está arquivado" respndeu-me simpaticamente a senhora "Mas arquivado porquê se eu não casei?" contestei. "Isso diz a senhora, mas eu não tenho como provar que não casou em Odemira no ano passado" retorquiu com um sorriso malandro. "Mas se estou aqui novamente como é que casei?".
Fiquei baralhada, é verdade, mas lá fui ao andar de baixo pedir uma fotocópia da fotocópia. e quanto custou? É verdade, 15 euros! Eu paguei a uma entidade estatal 15 euros por uma fotocópia que voltei a entregar à mesma entidade estatal. Bonito não acham?

Autoria e outros dados (tags, etc)

18
Mar06

Olha a boca de leão

por Inês P Queiroz
Se pensam que nunca vão fazer figuras ridículas, esperem até terem filhos.
Olhem para mim, por exemplo, aqui a exibir o puto.
Não está o máximo?

Autoria e outros dados (tags, etc)

18
Mar06

Olha a boca de leão

por Inês P Queiroz
Se pensam que nunca vão fazer figuras ridículas, esperem até terem filhos.
Olhem para mim, por exemplo, aqui a exibir o puto.
Não está o máximo?

Autoria e outros dados (tags, etc)

18
Mar06

Desejos

por Inês P Queiroz
Quero manhãs de sol, daquelas mornas, que ainda na cama nos deixam antever o dia quente que está lá fora.
Quero roupas leves e de cores quentes.
Quero peles morenas.
Quero o sabor das conchinhas e dos caracóis.
Quero que esta chuva pare.

Autoria e outros dados (tags, etc)

18
Mar06

Desejos

por Inês P Queiroz
Quero manhãs de sol, daquelas mornas, que ainda na cama nos deixam antever o dia quente que está lá fora.
Quero roupas leves e de cores quentes.
Quero peles morenas.
Quero o sabor das conchinhas e dos caracóis.
Quero que esta chuva pare.

Autoria e outros dados (tags, etc)

15
Mar06

As minhas miúdas

por Inês P Queiroz
São muitas, as minhas amigas. Bem, não muitas mas as suficientes. Mas as minhas miúdas são três. Todas muito diferentes entre si, todas muito singulares. Todas fundamentais para a minha sanidade mental. Mas, como todas as amigas, nós também nos zangamos, fazemos birras, amuamos, embirramos...
Houve uma fase que era quse sempre eu a chatear-me com a mais velha. Mais sábias, às vezes mais insuportável, com a mania que sabia tudo, que tinha vivido mais do que qualquer uma das restantes. A verdade é que ela é mesmo a mais velha e, por isso, mais vivida. Mas também é verdade que a antiguidade não é posto e que todas nós temos coisas para ensinar umas às outras.
Depois da doença fiquei, eu acho, mais calma. Deixou de me interessar tanto o confronto. Se ela acha que a parede é amarela, embora eu tenha a certeza que é verde, não há problema. Para ela é amarela e para mim verde. Vejo isso apenas como tonalidades de uma mesma cor.
Somos quatro miúdas muito diferentes, mas muito amigas e solidárias. Por isso, fico triste quando me parece que as coisas correm mal, quando vejo impaciências, quando parecemos menos amigas.
Que raio.
Gajas, por favor, tenham calma. Não se percam com pormenores, não ponham tudo em causa.
Tenho saudades dos nossos jantares de Verão. Das roupas coloridas, das sandálias, das conversas frescas e soltas.
Voltem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

15
Mar06

As minhas miúdas

por Inês P Queiroz
São muitas, as minhas amigas. Bem, não muitas mas as suficientes. Mas as minhas miúdas são três. Todas muito diferentes entre si, todas muito singulares. Todas fundamentais para a minha sanidade mental. Mas, como todas as amigas, nós também nos zangamos, fazemos birras, amuamos, embirramos...
Houve uma fase que era quse sempre eu a chatear-me com a mais velha. Mais sábias, às vezes mais insuportável, com a mania que sabia tudo, que tinha vivido mais do que qualquer uma das restantes. A verdade é que ela é mesmo a mais velha e, por isso, mais vivida. Mas também é verdade que a antiguidade não é posto e que todas nós temos coisas para ensinar umas às outras.
Depois da doença fiquei, eu acho, mais calma. Deixou de me interessar tanto o confronto. Se ela acha que a parede é amarela, embora eu tenha a certeza que é verde, não há problema. Para ela é amarela e para mim verde. Vejo isso apenas como tonalidades de uma mesma cor.
Somos quatro miúdas muito diferentes, mas muito amigas e solidárias. Por isso, fico triste quando me parece que as coisas correm mal, quando vejo impaciências, quando parecemos menos amigas.
Que raio.
Gajas, por favor, tenham calma. Não se percam com pormenores, não ponham tudo em causa.
Tenho saudades dos nossos jantares de Verão. Das roupas coloridas, das sandálias, das conversas frescas e soltas.
Voltem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Mar06

Porque é Primavera

por Inês P Queiroz
a vida corre melhor,
os cheiros são mais agradáveis,
as pessoas mais simpáticas
e eu ando mais contente com a vida

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Mar06

Porque é Primavera

por Inês P Queiroz
a vida corre melhor,
os cheiros são mais agradáveis,
as pessoas mais simpáticas
e eu ando mais contente com a vida

Autoria e outros dados (tags, etc)

11
Mar06

365 DIAS

por Inês P Queiroz
Para a maior parte das pessoas o 8 de Março é o Dia da Mulher, para outras é o Dia em que o Benfica cilindrou o Liverpool. Para mim, o 8 de Março é o dia que marca o resto da minha vida. Há, na minha cronologia pessoal, um Antes e um Depois de 8 de Março .
Na passada terça-feira, ao acordar, tentei olhar para a vida de uma forma positiva, com um espírito de comemoração. Um ano de nova vida. Com todas as tristezas, dores e condicionantes que ela me trouxe, mas uma nova vida, que me dá a oportunidade de celebrar o facto de continuar viva e feliz. Apesar de todos os precalços, estou aqui, carago!

Autoria e outros dados (tags, etc)

11
Mar06

365 DIAS

por Inês P Queiroz
Para a maior parte das pessoas o 8 de Março é o Dia da Mulher, para outras é o Dia em que o Benfica cilindrou o Liverpool. Para mim, o 8 de Março é o dia que marca o resto da minha vida. Há, na minha cronologia pessoal, um Antes e um Depois de 8 de Março .
Na passada terça-feira, ao acordar, tentei olhar para a vida de uma forma positiva, com um espírito de comemoração. Um ano de nova vida. Com todas as tristezas, dores e condicionantes que ela me trouxe, mas uma nova vida, que me dá a oportunidade de celebrar o facto de continuar viva e feliz. Apesar de todos os precalços, estou aqui, carago!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Calendário

Março 2006

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2005
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D